Uma cerveja seis Estrelas!

Você sabia que os judeus tiveram importante influência sobre a indústria da cerveja na Alemanha e em toda a história?

De acordo com o Museu Judaico de Munique, a comunidade judaica dessa cidade alemã desempenhou um papel importante na história da cerveja bávara. Além disso, os judeus eram importantes comerciantes de lúpulo, que é um dos ingredientes centrais da cerveja.

A Estrela da cerveja
Apesar da estrela de seis pontas da cerveja ser idêntica a Estrela de Davi as origens são diferentes. Séculos atrás a produção da cerveja era relacionada à alquimia e a estrela de seis pontas representava o equilíbrio perfeito dos elementos principais que o cervejeiro manipulava: a água, representada pelo triângulo que aponta para baixo, e o fogo, representado pelo triângulo que aponta para cima.

A fabricação de cerveja e consequentemente os cervejeiros passaram então a ser identificados pela estrela de seis pontas, que se tornou um símbolo de cerveja e cervejaria. As tavernas que serviam cerveja também eram identificadas com a estrela do cervejeiro.

Faz pouco tempo as cervejarias ainda identificavam cerveja com a estrela de 6 pontas e algumas cervejarias ainda trazem este símbolo da cerveja em suas marcas ou rótulos.

Mesmo tendo origens diferentes da estrela judaica, a estrela de seis pontas do mestre cervejeiro, a Brewers Star, também traz significado semelhante, o equilíbrio de forças opostas e complementares, como Yin-Yang, feminino e masculino.

Há quem diga que os dois triângulos representam os “elementos” utilizados na fabricação (água, fogo, ar) e os “ingredientes” da receita (água, malte, lúpulo).

Cerveja Kasher

Há milhões de judeus, um pouco por todo o mundo, que fazem questão de seguir o kashrut, isto é, as leis alimentares do judaísmo. A comida e a bebida, de acordo com a lei judaica é chamada de kasher, do termo hebraico כשר (kashér), que significa “próprio”. Nesse sentido, uma cerveja para ser um produto kosher tem de seguir determinados preceitos na sua elaboração.

Se nos basearmos no kashrut, a maioria das cervejas não viola os princípios subjacentes à dieta alimentar aí definida. Isso significa que a cerveja é habitualmente kasher, visto que nenhum dos ingredientes ou aditivos normalmente utilizados vão diretamente contra o kashrut. As exceções acontecem quando se introduzem ingredientes mais atípicos, como aditivos, corantes ou aromatizantes.

Todas as cervejas sem conservantes, aromatizantes e outros aditivos, isto é, que sejam produzidas com o recurso exclusivo aos quatro ingredientes base (água, malte, lúpulo e levedura) são aceitáveis mesmo sem uma certificação kosher. Esta generalização aplica-se a cervejas escuras (a cor deriva apenas do malte torrado) ou não alcoólicas. Por outro lado, todas as cervejas que incluam lactose, não são kosher.

Eschweger Klosterbrauerei, uma cerveja seis Estrelas

A cervejaria Eschweger Klosterbrauerei  foi agraciada com o “Prêmio aos Melhores” em ouro pelo centro de testes de alimentos da Sociedade Alemã de Agricultura. Somente empresas que se destacam pela duradoura produção de qualidade recebem este renomado certificado.

A percepção certa na escolha dos ingredientes, para saber de quem as boas matérias primas podem ser compradas, dos mestres cervejeiros e de cervejeiros competentes, que aprenderam e amam seu ofício, fazem ultimamente a grande diferença das cervejas.

Mas nem todos se saem bem nesses testes e muitas cervejarias sequer participam. A cervejaria Eschweger Klosterbrauerei participa todos os anos dos testes da Sociedade Alemã de Agricultura e recebe distinções, regularmente, as quais confirmam a alta qualidade consistente de suas cervejas. Neste ano foram distinguidas com medalhas de ouro as cervejas de trigo  “Jacobinus Hefe Weizen” e a tipo pilsen “Eschweger Klosterbräu Pils”, sendo que a Hefe Weizen, a base de trigo, chegou a ser premiada duas vezes.

Então, vamos fazer um Lechaim? Para conhecer e degustar: 21-31537376/21-964913446 – Simone.

Comente