Caos

A quem interessa o caos na cidade e no país? Na desorganização geral, fica mais fácil roubar e esconder e armar planos escusos, é sabedoria antiga.

Todos já perceberam que nossos políticos e empresários bandidos, ao sentirem-se acuados com alguma investigação, logo tratam de se internar em um bom hospital – jamais no SUS – com alguma doença repentina. Passado o susto, saem lépidos e fagueiros da clínica cara e renomada. Ou ali se instalam por mais tempo se a situação jurídica piora. O sistema é velho e manjado, mas todos eles seguem cumprindo a conhecida rotina.

Na segunda denúncia contra o presidente, lê-se que Michel Temer pagou R$5.000.000,00 a cada deputado que votou a seu favor. Se multiplicarmos por 250 deputados, teremos o tamanho de sua culpa e medo da Justiça. Obstrução aberta, explícita e abusiva da Justiça. E que dizer da punição aos que votaram contra? Prática de democracia? Estará zombando de quem?

O Congresso, não satisfeito, prepara novas armadilhas para a Lava-Jato. Pudera! A maioria dos senadores é investigado por improbidades – eufemismo meu. Confessar? Pagar pelos crimes? Nem pensar. Há muito dinheiro público para gastar e a boca calar de quem pensa em votar contra. Ainda assim, há os imprevistos com falsos aliados. Dinheiro, dinheiro de nossos trilhões de impostos, só não há para pagar os funcionários públicos, sem receber e muitos sem ter o que comer. Falta dinheiro para o pão? Tenta um brioche. Falta até o centavo da condução? Entregue o cargo, pois não lhe cabe a indisposição com a situação, avisou um prefeito que, sem dúvida, o dinheiro dele recebia.

Tantas malas e mochilas de dinheiro vagando por aí, em alguma delas estará o dinheiro de um – ou mais deum – poderoso. Mas o montante curto dos trabalhadores menores, ah, aí já é pedir demais. Décimo terceiro atrasado, migalhas semanais – quando existem – que humilham tanto quanto a cesta básica que recebem em vez do salário digno.

O que houve com o país? Como descemos tão baixo? Como deixamos jovens se armarem com rifles e não lhes demos livros para ocuparem as mãos e as mentes? Um ditado judaico avisa: Onde não se constroem escolas, prisões serão necessárias. Por que precisamos de tantas prisões? Onde abandonamos a escolaridade de nossos brasileirinhos? Em que esquina escura e perigosa os esquecemos?

Roubar merenda de crianças é crime – hediondo e sem perdão. Quem rouba uma, rouba milhões delas. Mas segue impune, que horror! Que vergonha!

O prefeito suspendeu o Fomento para o teatro em 2018? Mas em situações de caos, só a cultura pode nos ajudar a superá-lo. Só a educação pode tirar do buraco negro o Brasil que a corrupção ali o lançou. Qual de nossos políticos? Qual deles ainda é capaz de enxergar o caminho da luz para o país? Não a luz pequena que leva à sua conta bancária e à ganância de se aproveitar de um cargo no qual foi colocado pelo povo para extorqui-lo e humilhá-lo, até a exaustão dele se apossar e provocar uma guerra. Falo da luz maior, da sabedoria e da sensatez que lhes devia ser inerente. Enquanto isso, a guerra, já a vivemos. Sem hospitais que atendam como devem, sem escolas para todos, escolas que ensinem a pensar de verdade, sem mesquinhez e sem sordidez.

O povo está farto. Conversem com qualquer um e a tese será comprovada. O país do futuro voltou ao mais retrógrado passado. Nossas cadeias medievais vivem superlotadas de brasileiros, a maioria abandonada à própria sorte, uma outra parte ali pagando por crimes cometidos no exercício de um cargo que deveria ser honrado e tratado como uma joia. Joia…

Foi justamente usado para lavar dinheiro com elas. Um político que a todos enganou com a máscara da solidariedade, roubou tudo de todos, implantando o caos na vida de milhões. Que cárcere lhe será apropriado? Quão afastado da sociedade este sociopata deve ser alojado e esquecido? Quando voltaremos a ser um país tropical maravilhoso de verdade, funcionando com transparência e correndo em direção a um futuro que ansiamos por conhecer, deixando para trás, com todos os políticos e empresários corruptos, o atraso que teimam em deixar de herança, o caos que lutamos para afastar de nós e de novo ordenar e administrar e organizar o país. Que o povo não permita que vença a prostituição política! Que vençamos o caos instituído! Se o povo brasileiro é feito com fibra de herói e gente brava, que siga avante. Que os bandidos se embaralhem e se enredem e por lá se percam, apodrecendo em seu próprio caos.

Comente