“Envelhesquecendo”

– Puxa, que bom que estamos juntas de novo!

– Só está faltando a Hermínia, responde “a estraga prazer”.

– Mas ela foi da nossa turma por pouco tempo. Mudou logo para a zona sul.

– Hoje mora naquele bairro depois da Barra. Como é que é o nome?

– Recreio. Fica longe de tudo, comenta a que sabe tudo.

– Não é bem assim. O meu filho mora lá. Quem está morando longe mesmo é o meu neto, em Israel.

– Ué, encontrei ele, no ano passado, lá naquela cidade bem perto de Tel Aviv, que tem o nome de um grupo Wizo.

– Ramat Aviv!

– Isso mesmo! Puxa você se lembra de tudo!

– O Ilanzinho, agora, está trabalhando em … Meu Deus, está na ponta da língua. O lugar tem o nome de uma confecção que estampa camisetas.

– Dimona.

– Acertou! Que bom que você tem tudo na cabeça.

– Também estou lendo muito, não é para menos.

– Acabei ontem um livro maravilhoso. Bem romântico, fácil de ler.

– Qual é o nome do autor, indaga “a estraga prazer”.

– É autora. Francesa. “Peraí”, que vou me lembrar do seu nome.

– O livro se chama “A livraria mágica de Paris”.

– Eu que não me separo do meu iPad. Vou dormir todas as noites com ele.

– O seu o quê?

– Computador pequeno. Vejo todas as séries da Netflix, adoro. Agora mesmo estou assistindo “The Crown”. É sobre a rainha Elizabeth. Maravilhoso.

– Eu só vejo aquele canal da Globo de notícias, responde a mais engajada.

– Globo News, completa “a estraga”.

– Isso mesmo. Vejo o Jornal das 4 e o das 6. Adoro a Leila Neubarth.

– O nome dela é Leilane Neubarth . A outra é Leila Sterenberg. Mas a que eu gosto mesmo é aquela de cabelo curtinho do Jornal das 10. Ah, estou vendo ela na minha frente.

– Renata Loprete, responde a que até agora não tinha se manifestado.

– Por mim, na televisão só passaria novelas. Vejo todas. Prefiro as da Record, que são da bíblia. Estou acabando de ver, como é mesmo o nome.

– O Rico e Lázaro. Também vejo. Muito boa. As da Globo só tem baixaria.

– Mas bom mesmo é viajar! No natal vou pegar um cruzeiro para Buenos Aires. Meu filho disse que o navio é de primeira.

– Os melhores são da linha, como é mesmo o nome?

– Costa ou MSC. Fiz uma viagem com um Costa pelo Caribe, que foi show. Só não me pergunta por onde passamos. Tudo lindo!

– O meu médico, que trata de envelhecimento, me aconselhou a viajar.

– O teu geriatra?

– Sim. O consultório dele fica na Praça Nossa Senhora da Paz. Naquele prédio cheio de lojas.

– No Forum. A minha dermatologista é lá também.

– Como é o nome dela?

– Dra … como é mesmo? Ela tem o nome da prima do meu marido. É Vitória, muito boa.

– Que tal a gente combinar de passar um fim de semana naquele hotel perto de Teresópolis.

– Ah, aquele que tem nome francês. Já fui lá, mas não gostei da comida.

– É o Le Canton? Também estive lá. Ele é bom para as crianças.

– Em Teresópolis, gosto de ficar perto da pracinha do Alto. Ai que saudades da minha casa naquela rua, que tinha o ponto de cavalos.

– Me lembro bem. Era pintada de verde.

– A rua tinha Castro no nome…

– Gonçalo de Castro. Minha filha tem um apartamento lá, até hoje. Fica bem perto da feirinha. Uma delícia.

Nesse momento, um aroma delicioso de torta de maçã e chá de capim limão invade o ambiente. A visão da mesa posta, com toalha de linho da Ilha da Madeira, e o jogo de xícaras inglês, que só sai da cristaleira uma vez por ano, faz com que todas se levantem.

Do fundo da sala, ouve-se a voz da “estraga prazer”.

– Pelo menos, se lembraram que eu sou diabética?

Pano rápido.

 

4 Comentários

  1. Alice
    Alice 21 de novembro de 2017 at 16:54 |

    👏👏👏👏👏👏👏👏👏

    Responda este comentário
  2. Eva Britz
    Eva Britz 22 de novembro de 2017 at 14:11 |

    Denise,a sua crônica está demais !!!!!!O título já me fez rir…

    Responda este comentário
  3. Eva Britz
    Eva Britz 22 de novembro de 2017 at 14:13 |

    Maravilha !.

    Responda este comentário
  4. marly inbar
    marly inbar 26 de novembro de 2017 at 10:59 |

    Hahahahaha! Parabéns, Sarita! Gostei e ri, principalmente por achar que eu era uma delas. A propósito, meu apartamento em Terê era na Gonçalo de Castro. Você reacendeu minha saudade de tantos bons momentos em Teresópoli. Obrigada.

    Responda este comentário

Comente