Erupção de notícias

Aos sábados, às 23 horas, na onda Bet da rádio de Israel, é transmitido um programa de atualidades, com o resumo das principais notícias da semana.

No sábado passado, o comentarista  Hanan Cristal, um dos mais famosos do país, disse que em qualquer país normal, a quantidade de acontecimentos que ocorrem em Israel em uma semana, seriam suficientes para programação de 1 ano. Na Suiça, bastariam por uns 6 anos…

A semana passada começou com as eleições primárias da Machané Hatzionit  na 2ª feira  e a vitória inesperada de um candidato de última hora, desconhecido no partido, Avi Gabai.

Foi um acontecimento raro, que muitos já haviam enterrado, repercutindo em todo o sistema político -partidário, pois na mesma noite, as pesquisas de opinião pública mudaram a posição de todos os partidos.

O Likud, Yesh Atid, Bayt Hayeudi, Israel Beiteinu, Kulanu e  Shass, perderam cadeiras e a Machané Hatzionit que nas eleições anteriores elegeu 24 deputados e já havia baixado para 14, subiu para 18!
Incrível como uma figura nova na arena política consegue, em poucas horas, balançar o coreto dos partidos da coalizão.

A semana continuou com a publicação farta de suspeitas de  corrupção, interrogatório e detenção de “personas” de grande projeção pública e, principalmente, agregados ao primeiro  ministro Netanyahu.

Alguns dos envolvidos no escândalo da Bezek

Advogados, ex-chefe da Marinha militar, diretor geral do ministério das Comunicações, gente de alto gabarito, envolvidos no famoso escandalo em torno da compra dos submarinos alemães (já escrevi sobre o assunto em edições anteriores) e a mais recente novela de corrupção na Bezek – a maior empresa de telefonia de Israel.

Não esquecer que Netanyahu, até uns 2 a 3 meses, era também Ministro das Comunicações, cargo do qual  só se separou por exigência do Conselheiro Jurídico do governo, Mandelblit.

A mídia festejou a possibilidade de Netanyahu ser inquirido também e as manchetes não pouparam o primeiro ministro que entrou em pânico e exigiu dos ministros e deputados do Likud que saissem em sua defesa em todos os meios de informação. Nem todos gostaram da intimação.

A situação era séria e Netanyahu teve que adiar a viagem prevista à Paris, para encontrar o novo presidente francês, Emmanuel Macron, apelar para  o canal 20 da TV israelense (canal de orientação direitista que apoia abertamente Netanyahu) que o entrevistasse imediatamente, o que ocorreu um pouco antes da meia-noite da 5ª feira passada.

Na entrevista atacou, frontalmente, toda a imprensa de Israel, declarando que estava simplesmente sendo linchado pela mídia.

O entrevistador, que também foi criticado, alegou que “ninguém ditou as perguntas”, coisa que ninguem dá crédito.

A área das mesquitas e os terroristas

Para completar, sexta-feira, às 7 da manhã, um tiroteio na esplanada do Monte do Templo (Har Habayt) despertou a parte oriental de Jerusalém.

Três terroristas dispararam contra os policiais que estavam de guarda junto à Porta dos Leões, matando dois e ferindo gravemente  mais três.

Atentados à bala, vindo da área da mesquita El Aksa, são raros, creio que nos anos 80 ocorreu um incidente provocado por um judeu extremista e desde então, nos conflitos entre árabes muçulmanos e judeus que tentavam chegar ao Monte do Templo, os atacantes jogavam  pedras acumuladas nas cercanias da mesquita,  sobre os judeus.

Atirar com armas de fogo é profanação do do local santo, jogar pedras não. Os terroristas foram mortos. Três árabes israelenses de Um-Al-Fachem, uma cidade árabe próxima ao Galil. Não palestinos, não despojados das suas terras, não vítimas da ocupação: cidadãos como eu, com os mesmos direitos só não com as mesmas obrigações, não servem o exército.

Os policiais mortos, dois jovens drusos, que em geral servem no local, pois falam árabe, a sua língua materna. Além da gravidade do atentado, no local mais explosivo do Oriente Médio, árabes muçulmanos mataram árabes drusos.

As entradas para o Monte do Templo ( oito portais) foram fechadas bem como as entradas para a Cidade Velha, só aos moradores foi permitido o acesso. A reação dos membros da Wakaf e do Mufti de Jerusalém foram violentas, incitando os muçulmanos a chegarem ao local e entrar à força para rezar na mesquita.

Wakaf é uma organização que mantém fiscais em toda a esplanada do Templo, zelando para manutenção da sua Santidade. Esta entidade e todos que trabalham são nomeados e pagos pelo governo da Jordânia e depois da Guerra dos Seis Dias ,Israel concordou em manter o “status quo” . Mufti é o responsável pela interpretação das leis Islâmicas.

Esta decisão tanto da Polícia como da área política era necessária para vasculhar toda a esplanada à procura de possíveis armamentos e materiais explosivos , pois naquele momento não se sabia como os 3 terroristas conseguiram chegar ao local armados.

A área do Har Habayt é imensa, tem o tamanho de 18 campos de futebol, vários prédios alem das 3 mesquitas, fazer busca minuciosa para declarar que o local está limpo de armas, leva muito tempo e exige muita responsabilidade.

Somente no domingo depois das 12 horas, foram abertas duas entradas para o Monte, só para árabes, turistas e judeus não tiveram permissão para visitar o local. Porém havia uma condição, passar pelo magnômetro (detetor de metais), que é simples, semelhante ao batente de uma porta, como se usa em todos os aeroportos.

Que confusão, gritaria, Israel está se apoderando da Mesquita, humilhando os muçulmanos, ” com sangue e fé vamos libertar Al Aksa!” E se recusavam a passar pela porta magnética.

Realizaram as orações em frente aos policiais que zelavam pela ordem,  fora da Mesquita. Toda a imprensa mundial fotografando, era mesmo o que o Mufti queria, que todo o mundo muçulmano, mais de 1 bilhão ,visse como estavam sendo humilhados e declarassem Guerra Santa contra Israel.

Nem todos são iguais e muitos muçulmanos passaram pela porta magnética e foram rezar na mesquita.

Interessante notar, que os judeus, para poder entrar na área do Kotel, não só passam pelo magnômetro como tambem vistoriam os seus pertences e se houver alguma suspeita, apalpam as pessoas.
Ninguém reclama, são medidas de segurança. E viva a diferença!!!

NETANYAHU EM PARIS


Após 75 anos  da expulsão dos 13 mil judeus de Paris, entre os quais, 4.500 crianças, por ordem dos nazistas, o presidente Macron declara que a França aceita a responsabilidade pelo ato de covardia, de colaboração com o nazismo.

Os judeus foram aprisionados como primeiro passo para a exterminação e em seguida levados para os campos de concentração e morte .

A cerimônia de Hazcará (recordação) foi realizada em Paris  com a presença de sobreviventes e membros da comunidade judaica local. No seu discurso, Macron disse que “o anti sionismo de hoje é a nova expressão do antissemitismo passado”.

ISRAEL É CONTRÁRIO AO ACORDO NA SÍRIA
O  acordo de cessar fogo na Síria, em vigor desde a semana passada é o início de negociações para o futuro do país.

A oposição de Israel se baseia nos planos atuais que afasta as tropas iranianas para 20 km da fronteira, mas pode terminar com concordância russa às intenções do Irã, que simplesmente quer ter uma base militar (infantaria e aviação) no centro do país  com 5 mil combatentes xiitas e uma base naval em Tartus, na costa síria. O grande sonho do Irã: poder militar e político no Oriente Médio, a grande ameaça à estabilidade da região e ameaça palpável a Israel. Uma nova frente diplomática difícil para Israel ultrapassar.

GUNS AND ROSES EM TEL AVIV


Eu disse, no início, que a semana foi uma erupção, então, no sábado à noite  mais de 60 mil pessoas, num calor e humidade tremendos, se acotovelaram no Parque Jardim Yeoshua em Tel Aviv  para assistir ao show da famosa banda.

Os preços dos ingressos no câmbio negro  atingiram a soma de 2 mil shekalim, ou seja, mais de 550 dólares e o povo chora que a situação está difícil.Mas não tem jeito, é preciso rir, cantar, aproveitar a vida.

Os próximos shows internacionais anunciados :
IMAGE BLACK LIGHTS THEATRE OF PRAGA, em agosto, CHARLES AZNAVOUR , apenas uma apresentação em 28 de agosto, DAVID GARRET AND HIS BAND, em 6  de novembro, VIVALDIANNO, espetáculo visual em 3 D com orquestra e corpo de balé, em 3 de novembro.
É só vir, o programa é farto.

A GIGANTESCA SYMANTEC COMPRA A SKYCURE
Mais uma start up israelense é adquirida por uma grande empresa de segurança de informação. Os compradores e vendedores não revelaram o valor da operação, mas sabe-se que gira em tôrno de 280 milhões de dólares!

A tecnologia da Skycure é defesa contra ataques cibernéticos nos telefones celulares. Esta  é a 2ª start up israelense adquirida em uma semana pela Symantec .

Kol Hakavod à tecnologia de Israel !

Chega por hoje.
SHALOM ME ISRAEL !

Comente