Fufuca

Que doideira viver num país chefiado por um Fufuca.

Que tristeza os presidentes que só nos metem em sinuca.

Que vergonha dos políticos que fazem do Brasil uma muvuca.

De nós nunca desgrudam, colados em nossa nuca,

Sugando e gerindo nosso dinheiro como velha caduca.

Por que não refletem e buscam o que realmente educa

E nos deixam viver em paz, sem mais ideia maluca?

De Fundo Partidário, ah, disso entendem bem,

Roubam e se locupletam como ninguém.

Dinheiro pra festas, coquetéis e relatórios plagiados,

Nossos políticos não têm limites, de tão abusados.

Enquanto alhures pesquisam e encontram a cura,

Por estas bandas nada sequer se procura.

Tudo que almejam é vadia sinecura,

Ou seja, vida mansa pra si e pra nós a loucura.

Mas somos brasileiros – ô sorte,

Enfrentamos a vida, vencemos a morte,

E sabem com quem, de que modo, com que ato?

Tem jeito não, só nos resta a Lava-Jato.

Não tendo amigos que guardem lindos pedalinhos

Em seus sítios, nomeando meus amados netinhos,

Nem outros que me emprestem mansões na serra,

Para eu descansar e lavrar a terra,

Onde guardar meus whiskies e bebidas variadas?

Sei não – Nem pensar em tais jogadas.

No Brasil de Três Poderes ameaçados,

De infantes morrendo aos montes, baleados,

Presidentes, ministros, políticos e empresários mis,

Desonram nossa dignidade, dos modos mais vis.

Então vamos ao cinema e ao mal-amado teatro

Por eles vivemos, ficamos de quatro,

Assistimos à Shivah e à Bye Bye Alemanha,

Rechaçamos, com arte, a vida tacanha.

Queremos Cultura, Pesquisa e Educação.

Tudo que nos aumente a visão.

É nosso direito vida civilizada desfrutar,

E rejeitar, com todas as forças, um Brasil que insiste em fufucar.

Comente