Iván Fischer, maestro e compositor húngaro

Iván Fischer nasceu em 20 de janeiro de 1951, em Budapeste, em uma família judaica e de músicos. Inicialmente estudou piano, violino, violão e composição. Mais tarde mudou-se para Viena a fim de estudar direção com Hans Swarovsky, na Universidade de Música e Artes Performáticas, onde aprendeu violoncelo e música antiga,  trabalhando nesse período  como assistente do maestro Nikolaus Harnoncourt.

Em 1976, Fischer ganhou um prêmio da “Rupert Foundation” em Londres, e  em seguida começou a conduzir as orquestras britânicas como a Sinfônica da BBC e a Orquestra Sinfônica de Londres. Esta última Fischer regeu em uma turnê mundial em 1982. Sua estreia oficial nos Estados Unidos com a Orquestra Filarmônica de Los Angeles aconteceu em 1983.

Fisher retornou à Hungria em 1983 para fundar a Orquestra do Festival de Budapeste (BFO), que é atualmente uma instituição das mais importantes e que atrai um público imenso. Fischer criou vários festivais, incluindo o de verão em Budapest sobre música barroca e o “Mahlerfest de Budapeste”. Fischer e o BFO gravaram comercialmente para a Philips Classics e Channel Classics Records.

Nos Estados Unidos o maestro ocupou o cargo de diretor principal da Orquestra Sinfônica de Cincinnati, por sete anos. Em 2006, tornou-se diretor principal da Orquestra Sinfônica Nacional de Washington por dois anos. Fischer foi diretor de música da “Kent Ópera”, no Reino Unido, de 1984 a 1989. Como diretor musical da Ópera Nacional de Lyon, ficou no cargo de 2000 a 2003. Foi o maestro convidado para reger um ciclo de Mozart na Ópera Estadual de Viena e em produções também em Zurique, Londres, Paris, Bruxelas, Estocolmo e Budapeste.

Em 2011, Fischer recebeu os importantes prêmios da “Royal Philharmonic Society” e o “Dutch Ovatie Prise”. Em 2013 foi nomeado membro honorário da “Royal Academy of Music” de Londres.

Como compositor destacamos algumas obras: sua “Spinoza- Vertaligen” para soprano e conjunto de câmera, do texto de Baruch Spinoza, que se apresentou primeiramente nos Países Baixos e na Hungria; “Sait gesud”, com texto em iídiche; e “A nay kleyd” (Rokhl Korn), entre tantas outras composições. A ópera “The Red Heifer”, composta como um alerta contra a intolerância e o crescente antissemitismo na Hungria de hoje, teve sua estreia no Millennium Hall, em Budapeste, em outubro de 2013.

Iván Fischer recebeu várias outras premiações como maestro  e compositor: “Chevalier des Arts et des Lettres”, do governo francês, “Cidadão Honorário de Budapeste”, o Prêmio Crystal, do Forum Econômico Mundial, por seus serviços para ajudar as relações culturais internacionais, entre tantos outros.

Iván & Nora Fischer – Doelenensemble – Death Speaks

Mahler Symphony Iván Fischer & Budapest Festival

Comente