Jean-Michel Basquiat, um artista pop

Jean-Michel Basquiat nasceu em Nova York em 22 de dezembro de 1960. Seu pai era um imigrante porto-riquenho, e sua mãe era haitiana. Desde muito cedo demonstrou aptidão para as artes. Aos quatro anos já sabia ler e escrever, e a partir dos seis já demonstrava um talento ímpar para o desenho. Passou a ser membro do Brooklyn Museum.

Sua mãe, Matilde, o influenciou a participar de atividades relacionadas ao mundo artístico. Aos 17 anos, com seu amigo Al Diaz, começou a fazer grafite em prédios abandonados, assinando sempre “Samo” ou “Samo shit”.

Em 1978, quando faltava apenas um ano para se formar, Basquiat abandonou a escola e saiu de casa, passando a viver com amigos e sobrevivendo com a venda de camisetas e postais na rua. Um ano depois ganhou o status de celebridade dentro da cena de arte de East Village, em Manhattan, por suas aparições regulares em programas televisivos.

No fim da década de 1970 ele formou uma banda chamada “Gray”, com o então desconhecido músico e ator Vincent Gallo. Eles tocavam em clubes (“New York Beat Movie”) e tiveram uma aparição no vídeo “Rupture” da banda “Blondie”.

Basquiat tornou-se bastante conhecido em 1980 quando participou do “The Times Square Show”, uma exposição de vários artistas patrocinada por uma instituição de nome “Colab”. Sua carreira internacional se iniciou nesse período com a ajuda de galeristas famosos.

Em 1982 já era visto frequentemente na companhia de Julian Schnabel, David Salle e outros curadores, colecionadores e especialistas em arte. Nessa época começou a namorar uma cantora então desconhecida da cena musical, Madonna. Naquele mesmo ano conheceu Andy Warhol, de quem ficou amigo e com quem pintou várias telas a quatro mãos.

Dois anos depois, em 1984, muitos de seus amigos estavam preocupados com o seu uso excessivo de drogas e seu comportamento paranoico. Ele então já estava viciado em cocaína.
Em fevereiro de 1985 Basquiat foi capa da revista do “The New York Times”, em uma reportagem dedicada inteiramente a ele. Com o sucesso, foram realizadas diversas exposições internacionais nas maiores capitais europeias.

Basquiat morreu com apenas 27 anos, em decorrência de um coquetel de drogas (uma combinação de cocaína e heroína conhecida popularmente como “speedball”) em seu estúdio, no dia 12 de agosto 1988. Após sua morte, foi lançado um filme contando sua biografia, dirigido por Julian Schnabel e com o ator Jeffrey Wright no papel de Basquiat

Uma retrospectiva com seus principais trabalhos foi inaugurada no CCBB de São Paulo.
Obras da coleção Mugrabi
Rua Álvares Penteado, 112.
De 25 de janeiro a 7 de abril
Das 8h às 21h

Jean-Michel Basquiat pintando e desenhando

Basquiat pintando

 

Comente