Nada mudou…

O novo foguete balístico do Irã

A terra completou o seu movimento em torno do sol, o Novo Ano começou e a confusão continua. Nada mudou. Trump e Kim Jong-On continuam lançando ao vento ameaças e ofensas pessoais, o Irã lançou um foguete balístico experimental, que pode atingir Israel, Israel bombardeou outro arsenal de armas do Hesbollah ao lado do aeroporto de Damasco, os curdos continuam decididos a fazer o plesbicito apesar da oposição de meio mundo, enfim, a terra pode dar ré e começar tudo de novo.

SOLIDARIEDADE

A cadela Frida a mais eficiente salvadora

Israel enviou uma equipe especializada em salvamento após terremotos e outros desastres da natureza  para o México.
Cerca de 70 oficiais e soldados do Comando da Retaguarda, entre os quais 25 engenheiros, cães adestrados para procurar feridos em escombros, viajaram em Rosh Hashana, com uma licença especial do Rabinato.

Os engenheiros foram destacados para examinar as condições de segurança dos edífícios atingidos pelo terromoto.

Os israelenses foram recebidos com aplausos pela população nos locais onde trabalharam, numa demonstração de gratidão do povo mexicano ao povo de Israel, que nas horas difíceis está sempre entre os primeiros que se voluntarizam a ajudar.

O PREÇO DA INTOLERÂNCIA

O deputado Gueta com o presidente da Knesset na entrega da demissão

O deputado Igal Güeta, do Shass, foi obrigado a se demitir do seu cargo na Knesset, por ter comparecido ao casamento de um sobrinho homossexual. O Shass é o partido haredi sefaradita, portanto o deputado pertence a esta corrente judaica e conhece perfeitamente a oposição religiosa ao homossexualismo, mas ele apenas participou da cerimônia.

Na tradição judaica, o elo familiar é de grande importância e o deputado Gueta foi punido por seguí-la . Em declaração à imprensa disse que o amor à família faz parte dos valores judaicos.

UM GRANDE PASSO

A-Sissi é Netanyahu na ONU

Uma das reuniões mais importantes de Netanyahu à margem da Assembleia Geral da ONU  foi com o presidente do Egito, A-Sissi.

Este foi o primeiro encontro entre os dois líderes que teve cobertura jornalística, pois embora o acordo de paz assinado com o Egito já dure mais de 40 anos, o povo egípcio não vê com olhos amistosos o relacionamento entre os dois paises.

A influência religiosa e política da Irmandade Muçulmana ainda é sensível e tem grande penetração na população.

As forças armadas e parte da intelectualidade egípcia são os sustentáculos do acordo, pois entendem que Israel é um fator relevante na região.

O presidente A-Sissi tem atuado intensamente para conseguir uma união entre as duas facções palestinas – Fatach e Hamas – que é o primeiro passo para o desenvolvimento das negociações com Israel .

A imprensa árabe tem abordado o assunto nos últimos dias, destacando que a solução do problema israelo -palestino abrirá amplos horizontes e que mais de 50 paises árabes estarão prontos a atar relações diplomáticas plenas com Israel.

Fontes bem informadas dizem que na reunião entre Netanyahu e A-Sissi, foi aventada a possibilidade de um encontro regional entre Egito, Israel e Jordânia, que receberá inteiro apoio americano e da Arábia Saudita. Algo positivo no Ano Novo?

POLÍTICA


Há algumas semanas, comentei a realização da 1ª Convenção do partido Hamachané Hatzioni (Avodá+ Hatnua ) depois das eleições para a Secretaria Geral na qual foi eleito uma estrela nova no velho partido – Avi Gabai.

Contra todas as expectativas, Gabai conseguiu aprovação de todas as modificações que sugeriu nos Regulamentos do partido, que lhe concedem quase que plenos poderes como presidente do partido. Ytzhak Herzog, que perdeu as eleições para Gabai, deu inteiro apoio ao novo chaver, além de Sheli Yechimovitz e a maioria da liderança. Quem votou contra foi Amir Peretz, que também perdeu as eleições. Gabai garante que vai ser eleito primeiro ministro nas próximas eleições. Otimista.

ALGO POSITIVO NA ONU
O Conselho de Segurança da ONU aprovou a prorrogação por mais 1 ano da permanência das “forças de paz ” da Organização na fronteira entre Israel e o Líbano.

Israel não confia nos soldados da ONU que não querem arriscar suas vidas para fiscalizar as ações ilegais dos terroristas do Hesbollah, mas o Líbano pressionou muito e conseguiu a aprovação . Para os libaneses é ótimo, tem cobertura para transitar e contrabandear armamento recebido do Irã. Para Israel não importa.

Ao longo desta fronteira existem 240 aldeias libanesas, que são consideradas pacíficas com população civil, mas de fato, cada aldeia é um quartel da Hesbollah  com armamentos sofisticados, tropas que atuam em espionagem 24 horas por dia, representando uma permanente ameaça para Israel.

Os soldados da ONU apesar dos pedidos constantes de Israel, não entram nas aldeias, sabem o que está escondido lá e não querem se arriscar.

O serviço de informação da Tsavá, usa de tecnologia avançada para fotografar de dia e à noite, todo o movimento intenso na faixa fronteiriça e quando a aparelhagem disfarçada é descoberta pelo Hesbollah, é totalmente destruida. Mas é substituida. Guerra de espionagem sob os auspícios do relaxamento das “forças de paz” da ONU.

AS FOFOCAS DA ASSEMBLEIA GERAL DA ONU


Foi muito comentada a presença da sra. Sarah Netanyahu sentada no plenário da Assembleia junto com a delegação de Israel, ao lado do marido, o primeiro ministro.

Não é do conhecimento de ninguém que a sra. Netanyahu exerça algum cargo público ou político que lhe confira o direito de sentar junto com os delegados de Israel à Assembleia Geral da ONU.

Já a primeira dama americana, Melanie Trump, estava como devia, sentada no balcão dos convidados, ouvindo o discurso do seu marido, que como presidente do país anfitrião, fez a abertura da Assembleia.

Falta absoluta de educação diplomática.

A VERDADE SECULAR
A realidade política de Israel, na qual os partidos de direita e religiosos governam, tem causado conflitos entre as duas correntes judaicas: a religiosa e a secular.

Não ser religioso em Israel não é ser anti religioso, é, simplesmente, não ser praticante das 613 mitzvot ( obrigações religiosas) diárias dos crentes.

Os judeus israelenses seculares fazem questão de ser judeus, dentro dos seus princípios, sem se submeter a coerção exigida pelos ortodoxos. Israel não é uma teocracia, tal como querem os haredim.

O ensino oficial escolar tem conteúdo judaico nas escolas públicas, não na mesma medida das escolas públicas religiosas.

O atual ministro da Educação, Naftali Benet ( Habayt Hayehudi) pertence a corrente religiosa sionista e está fazendo uma reforma no ensino  para introduzir mais conteúdo judaico religioso nas escolas “seculares”. As organizações de pais  abriram uma guerra contra o ministro da Educação e a sua reforma.

O conceituado filósofo e historiador israelense Yuval Harari, expressou a sua opinião sobre o assunto, dizendo que “ao invés de se opor à integração de conteúdo religioso no sistema educacional, os seculares devem atuar para implementação dos seus valores no programa de ensino  e a ” carroça secular” está repleta de valores: o compromisso com a verdade que é a base da pesquisa científica, a compaixão, a igualdade e a liberdade que são a base da democracia e o conhecimento de que somente nós  e não nenhuma força superior, podemos lutar contra os crimes do mundo moderno”.
“Se amanhã de manhã desaparecerem os laboratórios de pesquisa e os centros científicos, o mundo haredi desmoronará, pois quem defende os talmidei yeshivá ( estudantes das yeshivot ) contra as epidemias, não são os estudantes de Torá e sim as vacinas. O que mantem vivos os rabinos idosos, pode ser talvez um pouco de orações, mas principalmente muito antibiótico.”

Pena que não posso transcrever todo o artigo, que foi publicado no Yediot Aharonot, mas tiver interesse, pode navegar na internet e encontrar a matéria.

MOVIMENTO FEMININO PELA PAZ


Mais de 500 mulheres judias, árabes, beduinas, iniciaram dia 24/9 uma passeata, que saiu de Sderot, no Negev e vai atavessar o país em direção a Jerusalém, onde será realizada uma manifestação gigante em 8/10.

O 1º grupo será engrossado diariamente por grupos de mulheres das cidades e ishuvim no trajeto para Jerusalém e chegarão a milhares na capital de Israel.

Este Movimento Mundial pretende demonstrar que as mulheres são capazes de influenciar os governos a decidir pela Paz, à exemplo do que fizeram as mulheres da Libéria, que conseguiram por fim à sanguínea guerra que assolou o pais durante anos.

Em outubro, representantes de Israel estarão no Brasil, precisamente em Curitiba, onde será realizada uma passeata pela Paz .

Convoco as mulheres brasileiras de todas as origens e credos a apoiar e incentivar este Movimento!

O ESCÂNDALO DE PLANTÃO
Fiquei esperando até o final do noticiário noturno  para informar as últimas do novo escândalo sexual.

Na 2ª feira, 25/9/2017 foi realizada a cerimônia da entrega dos prêmios concedidos pelo Ministério da Educação àqueles que se destacaram na vida cultural e educativa do país.
Entre os premiados, estava Shlomo Gronich, músico, compositor, cantor, um dos artistas mais conceituados de Israel, escolhido pela sua contribuição à cultura judaica e israelense,tendo dedicado 50 anos da sua vida a esta obra.

Um dia antes, uma mulher apresentou queixa à polícia contra Shlomo Gronich por abuso sexual, fato ocorrido há 25 anos, quando era uma jovem de 16 anos que veio mostrar suas composições bem como interpretá-las ao Gurú musical. Postou o material nas redes sociais.

De imediato, outra mulher também apresentou queixa contra o premiado por sua contribuição à cultura e educação.

O ministro da Educação não sabia o que fazer, pois cancelar o prêmio antes de qualquer investigação, não seria racional, mas fazer a entrega do prêmio em espetáculo público com a fina flor dos meios culturais, também não era correto.

De comum acordo, Shlomo declinou de comparecer à cerimônia, designando a sua esposa para receber o prêmio em seu nome. Diga-se que o prêmio inclui uma bela soma em dinheiro: 150 mil shekalim!

Depois das averiguações e investigações, veremos se não será obrigado a devolver o prêmio….
Por hoje é só. Não quero pecar às vésperas de Yom Kipur. De qualquer maneira, vou sempre à sinagoga ouvir as preces e pedir perdão até pelos pecados que não cometi.

SHANA TOVA ! GMAR CHATIMÁ TOVÁ ! QUE SEJAMOS TODOS INSCRITOS NO LIVRO DA VIDA . AMEN.
SHALOM ME ISRAEL

 

 

 

 

Comente