O novo lar dos idosos

Visite a nossa página: lardejacarepagua.com.br

 

Além de serviço médico 24 horas, há atividades culturais e sociais

Chamadas de instituições de longa permanência para idosos, os novos centros de repousos, voltados para a terceira idade tentam quebrar a imagem estigmatizada dos asilos. Os valores mensais ficam em torno de R$ 7 mil dependendo do tipo de quarto e do tratamento. O modelo existe em diferentes cidades brasileiras e é inspirado em empreendimentos que são praxe em outros países, como Estados Unidos, Canadá e Inglaterra, onde a população idosa cresce gradativamente. Assim como no Brasil, cuja taxa da população com mais de 60 anos foi de 9,8% para 14,3% de 2005 a 2015. Na verdade, aqui o aumento é mais rápido do que em países desenvolvidos e chegará a 35% em 2070, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A ideia desses novos centros é benéfica no sentido de estimular o desenvolvimento cognitivo, o convívio social e a qualidade de vida geral. Com isso, evita-se quadros depressivos, que podem ser fator para uma série de outras doenças na terceira idade. Desde a alimentação à atividade física, tudo deve ser pensado para a saúde física e mental. Segundo a mais recente Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE, a faixa etária entre 60 e 64 anos é a maior entre todos os brasileiros diagnosticados com depressão: 11% do total.

Vilas nasceram na Flórida

Na ânsia de ter um espaço de alto padrão para aposentados, os americanos criaram não um condomínio, mas toda uma vila para pessoas com mais de 55 anos. Fundada em 1972, The Villages é hoje uma cidade com 120 mil habitantes. Em 2000, eram apenas 8.300. É também um forte reduto republicano, com apoio declarado a Donald Trump. A média de preço de uma casa vai de R$ 800 mil a R$ 3 milhões. O custo mensal, que inclui manutenção de piscinas, quadras de tênis e campos de golfe, além de atividades recreativas e serviços básicos como água e TV a cabo, é de R$ 3 mil. O empreendimento é um dos pioneiros no mundo no setor de moradias para idosos que dispõem de serviços variados e se afastam da ideia de asilo. Hoje há vários outros modelos parecidos ao redor do mundo. Em Londres, o Battersea Place conta com uma ala de enfermagem de luxo. Na Nova Zelândia, uma casa na vila Settlers Albany sai por R$ 4 milhões. Na Holanda, a vila de Hogeweyk foi projetada para idosos com demência e Alzheimer e tem uma estrutura específica para ajudar os moradores.

Comente