Semana agitada

Abertura 20ª Macabíada

Começou com dois acontecimentos no mesmo dia, 3ª feira, 4/7: as eleições primárias na Machané Hatzionit (Avodá) e a chegada do Primeiro ministro da Índia, Narendra Modi  e em seguida, na 5ª feira, a abertura da 20ª Macabiada.

Mas o burburinho diário em Israel e na sua vizinhança, não nos dá descanso e aí o encontro de Putin e Trump às margens da reunião do G-20 em Hamburgo nos leva aos problemas na fronteira com a Síria e as notícias publicadas pela imprensa libanesa, de que o Hamas e Israel estão negociando a devolução dos restos mortais de dois soldados israelenses caídos na guerra Tzuk Eitan, deixa as famílias e o povo em geral, ansiosos e apreensivos.

Para completar, na 6ªfeira a comissão de Legado Histórico da Unesco, aprova a resolução proposta pela representação palestina de que a Cave dos Patriarcas em Hevron não tem nenhuma ligação histórica como povo judeu e, sim, pertence à herança histórica palestina, acrescida de risco de destruição.

O que está escrito na Bíblia, que Avraam comprou a Cave para construir o túmulo da sua esposa, Sarah, por 400 shekalim, não é aceito pelos representantes dos países árabes muçulmanos, que são a maioria dos membros da comissão. Voto automático. Autêntica política anti israelense na Organização de Ciências, Educação e Cultura da ONU.

Os demais paises não árabes, se abstem  e assim vão sendo tomadas as resoluções da Comissão.

AS PRIMÁRIAS NA MACHANÉ HATZIONIT


Pela primeira vez , sete candidatos concorreram às eleições  para  o cargo de secretário geral do partido, portanto,  candidatos a primeiro ministro nas eleições gerais.

O Avodá, que foi o partido que mais governou em Israel desde a sua criação, perdeu a primazia em 1977, quando  Menachem Begin – Likud – ganhou as eleições e nos anos seguintes, os trabalhistas só conseguiram retornar ao poder quando Rabin foi eleito, mais tarde Ehud Barak, que desmoronou o partido e desde então, Ariel Sharon abandonou o Likud e criou o Kadima  e o Avodá foi caindo na preferência pública.

Sharon foi reeleito, mas por motivos de grave enfermidade foi afastado das funções sendo substituido por Ehud Olmert, que conseguiu se eleger nas eleições seguintes mas forçado a renunciar por envolvimento em  corrupção.

Desde então temos BIBI!

O partido Avodá perdeu muito do seu brilho e de eleitores  e embora nas últimas eleições tenha conseguido eleger 24 deputados, não conseguiu formar uma coligação para vencer o Likud  e Netanyahu já está na sua 3ª cadência.

Ytzhak Herzog foi durante o atual governo e o anterior, o líder da oposição, mas os eleitores o consideram pouco carismático, fraco diante da força e da corrente agressiva de governo da atual coalisão.

Hertzog também, concorreu nas primárias, mas ficou em 3º lugar, depois de Avi Gabai, 2º colocado e Amir Peretz, 1º lugar. Uma derrota retumbante para Herzog.

Foi um reboliço estas eleições. Gabai nem era do Avodá, foi eleito nas últimas eleições, há pouco mais de 1 ano, pelo partido Kulanu, que faz parte da coalização, nomeado ministro e depois de 6 meses  demitiu-se em protesto contra  Netanyahu, que demitiu o então ministro de defesa Yaacov Eylon.

Não tem nenhuma experiência política mas muito sucesso na carreira empresarial, caiu de paraquedas no Avodá. Peretz tem uma longa carreira política, 35 anos, tendo exercido múltiplos cargos públicos, deputado, secretário geral da Histadrut, ministro em vários govêrnos e inclusive secretário geral do partido.

Adivinhem o que mais se comenta em torno desta disputa? Pela 1ª vez , dois marroquinos estão no ápice da liderança do Avodá: Peretz nasceu no Marrocos e chegou com dois ou três anos de idade a Israel e Gabai é sabra, filho de marroquinos. Incrível esta obsessão tribal em Israel.

Como nenhum candidato conseguiu 40% dos votos, houve uma segunda rodada nesta 2ª feira  entre os dois primeiros colocados, sendo que Avi Gabai venceu por 5% de diferença sobre Amir Peretz.

Hertzog e Livni já telefonaram para desejar sucesso no cargo e declarando que vão colaborar para vencer nas eleições gerais.

PUTIN E TRUMP EM HAMBURGO
Pela 1ª vez (vejam quantas coisas aconteceram pela 1ª vez nesta semana em questão), Putin e Trump se encontraram, pessoalmente, e segundo o noticiário, foi um encontro muito cordial e positivo.

Entre outros temas da conversação, o que toca a Israel, é o acordo de cessar fogo na região sudeste da Síria que entrou  em vigor no domingo, 9/7 , ao meio dia.

Os entendimentos tiveram a participação ativa da Jordânia, muito prejudicada nestes anos de guerra na Síria,  2 milhões de refugiados  atravessaram a fronteira e com os seus 8 milhões de habitantes, não tem possibilidade de absorvê-los.

Vários acordos de cessar fogo foram declarados e em poucas horas  desrespeitados  durante a guerra civil síria, mas a diferença desta vez é que o acordo se refere apenas a uma região determinada, sudeste sírio, próximo à fronteira com Israel e Jordânia.

A intenção da Jordânia e de Israel é  afastar as milícias iranianas, Daesh e Hesbollah da faixa ao longo das respectivas fronteiras.

Este seria o primeiro passo concreto para a divisão da Síria em várias regiões autônomas, já dominadas pelos curdos, drusos, sunitas e os rebeldes sírios.

Segundo estes entendimentos entre Trump e Putin, Assad continuaria no poder, na área costeira e em Damasco.

Israel não se manifesta oficialmente, mas sob o radar, concorda, pois a proximidade de milícias iranianas e Hesbollah representa perigo real de conflito armado no norte do país. Que os  líderes das grandes potências tenham sucesso onde muitos fracassaram.

NEGOCIAÇÕES COM HAMAS?
O jornal libanes Al-Achbar noticiou que Israel e Hamas estão negociando, por intermédio do Egito, a possibilidade de um acordo para devolução dos corpos de dois soldados israelenses mortos na guerra Tzuk Eitan e a libertação de dois civis aprisionados nas proximidades da fronteira de Gaza, em troca de prisioneiros do Hamas em Israel .

Os dois soldados israelenses e um dos civis.

A resposta de Gaza não tardou: não estamos em negociações com Israel, mas as nossas condições para qualquer entendimento são a libertação de todas as mulheres e menores presos por atos de terror e mais 53 terroristas que foram libertados em troca do soldado Shalit e novamente aprisionados em ações terroristas, em troca de “informações” sobre os mortos e os dois civis, que não se sabe se estão vivos ou não. Justo, não !?!?

Fonte do governo israelense desmente a notícia e declara ao Hamas que Israel não troca prisioneiros vivos por informações sobre os restos mortais  dos soldados e sobre os civis cujo destino é desconhecido.

Israel entende a dor das famílias dos mortos que querem uma sepultura digna para os seus filhos, bem como o sofrimento das famílias dos dois jovens desaparecidos, mas o Hamas tem que aprender que rapto de israelenses é um castigo e não uma vantagem.

A VISITA DE MODI


Creio, que nem Trump foi recebido com tanto carinho por Netanyahu como o primeiro ministro indú. Os dois arregaçaram as calças e caminharam descalços à beira mar!

A visita foi muito bem preparada por ambos os lados e portanto muito proveitosa. Israel e India assinaram sete acordos de colaboração nas áreas de inovação, conservação de água, agricultura  e espacial, além de cooperação em segurança e defesa.

MAIS UMA PRIMEIRA VEZ : ACORDO ENTRE ISRAEL E PALESTINOS

Yuval Stainitz e Hamdalla em J’enin

Não, não acordo de Paz, mas o primeiro ministro palestino, Rami Hamdalla e o ministro das energias de Israel, Yuval Satainitz, inauguraram em J’enin, numa cerimônia festiva, a 1ª de 4 sub-estações elétricas que Israel está construindo para a Autoridade Palestina.

O ministro Stainitz, no seu discurso , disse que “este é um momento histórico e animador. Quando trabalhamos juntos, podemos desenvolver outros acontecimentos na nossa área.”

A estação elétrica vai aumentar sensìvelmente a energia elétrica que a companhia Elétrica de Israel fornece aos palestinos.

Os custos do projeto, 40 milhões de euros – foram doados pela Comunidade Europeia. Em breve serão inauguradas as sub-estações de Ramalla, Schem e Tarkumie, todas cidades palestinas.

Altas autoridades de Israel e da Autoridade Palestina participaram da cerimônia que abriu novas perspectivas de colaboração  entre os palestinos e Israel.

ONDA DE CALOR
Dia o serviço de meteorologia, que há 20 anos não faz um calor como o que estamos enfrentando há umas duas semanas.

As temperaturas mínimas são 24° – 25° à noite. Durante o dia, acima de 30° com humidade elevadíssima que nos dá a sensação térmica de mais de 40°! Naõ está fácil. Não saio de casa.
Por hoje é só!
SHALOM ME ISRAEL

Comente