Stefan Zweig – Adeus Europa


O filme narra, com delicadeza e poesia, o exílio do escritor austríaco. Na primeira cena do longa,  vemos Stefan Zweig participando de um banquete no Brasil. Desde que abandonou a Europa, fugindo do nazismo, Zweig viveu no exílio e aqui fez vários amigos (mais do que em toda a sua vida na Europa). Apesar de festejado e reconhecido como um dos maiores escritores, comparado somente a Thomas Mann, ele sentia profunda solidão, pois tinha completo conhecimento do que os nazistas faziam com os judeus durante a guerra.

Na cena que se passa na Bahia, vemos um canavial pegando fogo que o faz lembrar que a Europa também estava em chamas.

Uma das cenas mais impactantes é a entrevista coletiva dada a jornalistas durante a Convenção de Escritores em Buenos Aires, quando ele se recusa a denunciar o nazismo.

Zweig e sua mulher instalaram-se na quietude de  Petrópolis e se encantaram com a beleza dos trópicos. Apesar de ser um filme de época, encontra ecos nos dias de hoje em que novos conflitos produzem outros tipos de expatriados.
O filme, dirigido pela atriz e diretora alemã Maria Schrader, foi filmado  em Portugal com atores portugueses. A diretora é só elogios para esses atores. Ela ainda explica que conseguiu realizar o filme mesmo com uma verba pequena, através de uma produtora recomendada por amigos produtores alemães, a Cinemate.

Os atores Josef Hader (Stefan Zweig), Aenne Schwarz (Lotte) e a primeira mulher de Zweig (Barbara Sukowa) estão excelentes.

Trata-se de um filme nostálgico e é possível se encarar o suicídio do casal como uma forma de protesto supremo.

Um comentário

  1. ISRAEL BLAJBERG
    ISRAEL BLAJBERG 3 de maio de 2017 at 16:06 |

    as cenas da bahia e petropolis foram fimadas em sao tome e principe. falam portugues de portugal.

    Responda este comentário

Comente